Assunção Madureira

Artistas
Obras
 
Paisagem Desconstruída Nº 10
Paisagem Desconstruída Nº 10
Paisagem Desconstruída Nº 20
Paisagem Desconstruída Nº 20
Paisagem Desconstruída Nº 14
Paisagem Desconstruída Nº 14
Paisagem Desconstruída Nº 13
Paisagem Desconstruída Nº 13
Paisagem Abstrata - díptico
Paisagem Abstrata - díptico
Série Topos e Logos Nº 4
Série Topos e Logos Nº 4
Paisagem Desconstruída nº 7
Paisagem Desconstruída nº 7
Paisagem Desconstruída Nº 12
Paisagem Desconstruída Nº 12
 

Duas vertentes se alternaram em meu trabalho por longo tempo: as séries de paisagens e as séries de figura humana, especialmente a figura feminina e seu espaço no mundo, com enfoque em seu universo de lutas e conquistas; enfim, o estar no mundo. 


Há que se provar e comprovar competência para se conquistar o “topos” e o “logos” no mercado de trabalho, sem abrir mão das atribuições do Gineceu. As questões existenciais, a tão falada emancipação feminina, tem um preço alto: a dupla, tripla jornada de trabalho, dentro e fora do Gineceu, o domínio das novas tecnologias, isto sem falar na cobrança ocidental da boa forma física, na ditadura da jovialidade e da beleza. 
Com o tempo, o desenho foi perdendo a importância, mas o espaço continua sendo a grande questão, seja ele real ou utópico, imanente ou transcendente. 


“Topos”, espaço, lugar. 


“Logos”, na Grécia antiga, inicialmente a palavra falada, o verbo; mais tarde a capacidade de racionalização, princípio cósmico da Ordem e da Beleza. 


“Logos” e “Topos”, dualidade milenar e atual. No latim, lócus, lugar, espaço. Ou seria limite, proibição? “Até onde se ouve os sinos da igreja”, ou seja, até onde se é permitido ir, nunca ultrapassando os limites da Urbis. Arquétipos Gineceu e Androceu, espaços femininos e masculinos, respectivamente. Nesta trajetória, o espaço pictórico foi relativizado: a figuração foi gradativamente dando lugar à abstração, até que o abstrato se impôs por completo. 


O figurativo perdeu a importância e a composição ganhou mais relevância. As harmonias cromáticas são vibrantes e imperativas. 


A cor é a minha verdade e a minha poética no meu fazer artístico. 

Biografia