Galeria Beatriz Abi-Acl presta  um tributo

                         a grandes artistas brasileiros

 

Com uma grande exposição intitulada ONTEM E HOJE, a Galeria de Arte Beatriz Abi-Acl inaugura suas atividades este ano. ONTEM é um tributo a grandes nomes que revolucionaram as artes plásticas à sua época. HOJE traz os trabalhos de três artistas contemporâneos, que, mesmo seguindo tendências diferentes, têm como ponto em comum o fato de usarem elementos, temáticas e técnicas que reportam à arte no passado.

A mostra será aberta no dia 18 de março, das 11 às 18 horas, e poderá ser visitada até o dia 8 de abril, de segunda a sexta-feira, de 9 às 18 horas, e aos sábados, de 9 às 13 horas.

Os artistas que integram a mostra ONTEM dispensam apresentação: Álvaro Apocalypse, Amílcar de Castro, Ana Horta, Caribé, Chanina, Herculano Campos, Júlio Espíndola, Mário Bhering, Rui Santana, Sânzio Menezes, Sara Ávila, Terezinha Veloso e Wilde Lacerda.

Ao longo dos anos, a galeria reuniu um rico e precioso acervo, composto por gravuras em metal, matrizes, pinturas, aquarelas e desenhos, vários deles inéditos, desses renomados artistas.

Entre as obras expostas, encontram-se desenhos em lápis e bico de pena de Álvaro Apocalypse, datados de 1957; quatro matrizes, gravuras em metal e até um desenho feito em uma página de catálogo telefônico de Amílcar de Castro; gravuras em metal de Ana Horta da década de 1980; pintura e bico de pena de 1972 de Caribé; pintura de Chanina; duas obras de 1974 de Herculano Campos; gravuras em metal de Júlio Espíndola de 1976; aquarelas de Mário Bhering; gravuras de Rui Santana; desenhos de Sara Ávila; pinturas de Sânzio Meneses; aquarela datada de 1979 de Terezinha Veloso e um estudo para painel feito por Wilde Lacerda.

Já a mostra HOJE é composta por obras de Assunção Madureira, Attílio Colnago e Leny Hipólito.

Em grandes telas abstratas, Assunção Madureira remete ao passado inserindo textos e documentos originais relativos a Minas Gerais dos séculos XIX e XX. Por sua vez, Attílio Colnago apresenta uma série inédita em que trabalha a figura humana, utilizando a técnica têmpera a ovo, utilizada por grandes artistas em séculos passados. E Leny Hipólito, jovem artista que faz sua primeira exposição, faz uma releitura das obras de Vincent Van Gogh.

A exposição ONTEM E HOJE integra o I Circuito de Arte de Belo Horizonte “10 Contemporâneo”, promovido pelas galerias de arte que trabalham essencialmente com arte contemporânea.

Obras

Abertura

ONTEM E HOJE