ARTE NAS GERAIS

 

Galeria de Beatriz Abi-Acl comemora 13 anos

de atuação com exposição coletiva

 

 

Há 13 anos, Belo Horizonte ganhava um novo espaço para as artes plásticas, que passou a ser referência da multifacetada arte produzida em Minas Gerais. Desde outubro de 1999, a Galeria de Arte Beatriz Abi-Acl promoveu mais de 50 exposições individuais e coletivas e resgatou nomes importantes da pintura, da escultura, da aquarela e demais manifestações das artes plásticas. Apresentou também ao público mineiro uma grande exposição internacional e abriu suas portas para artistas de outros estados brasileiros.

 

Para comemorar esses 13 anos de intensa atuação, a galeria vai abrir, no próximo dia 25 de outubro, às 19 horas, exposição coletiva intitulada “Arte nas Gerais”, reunindo obras inéditas de 14 artistas de diversas gerações, que têm como fio condutor o talento. Participam da mostra os artistas Abreuvalle, Ana Felisberto, Attilio Colnago, Beatriz Abi-Acl, Carlos Macedo, Clébio Maduro, Décio Noviello, José Maria Ribeiro, Marcelo AB, Mário Mariano, Mauro Silper, Noêmia Motta, Rachel Roscoe e Yara Tupynambá, além de obras de Amílcar de Castro, Caribé, Carlos Bracher e Herculano Campos.

 

A mostra ficará aberta ao público de 26 de outubro a 24 de novembro, de segunda-feira a sexta-feira, das 9 horas às 20 horas, e aos sábados, das 9 horas às 13 horas, na Galeria Beatriz Abi-Acl, situada à Rua Santa Catarina, 1155, no bairro de Lourdes, em Belo Horizonte. A entrada é gratuita.

 

Para promover a coletiva Arte nas Gerais, a galeria convidou o marchand e colecionador de artes Jacques Ernest Levy para fazer a curadoria da mostra. Segundo Levy, a escolha dos artistas não foi por acaso. São artistas de grande talento, de escolas de diversas tendências, o que faz com que cada um espelhe traços e cores, numa composição de beleza, conteúdo e harmonia.

 

Esta pluralidade artística independe de outras combinações, ela por si só marca o que é a maturidade do artista mineiro que engrandece a cultura brasileira.

 

“A pintura, a escultura, a aquarela, assim como a gravura, a litografia e a fotografia, expressam a sensibilidade humana, o grito da vida que nos ajuda a entender o nosso dia a dia, aí meu empenho em promover e apoiar estas realizações”, ressalta o curador.

 

Jacques Levy considera que “13 anos é uma data mágica, ímpar, repleta de estórias, que precisa ser comemorada com uma grande exposição. E a mostra Arte nas Gerais será um marco na vida da galeria, conforme tem sido a comemoração de todos os aniversários”, completa.

Obras

Abertura

Arte das Gerais

Catálogo 

Arte nas Gerais

Coletiva