Rosana Campos

Obras
Gipsy -  acrílica sobre tela - 1,60  X 1,26 cm
Gipsy - acrílica sobre tela - 1,60 X 1,26 cm
Homeless - acrílica sobre tela -1,58 X 1,58 cm
Homeless - acrílica sobre tela -1,58 X 1,58 cm
 
 

Rosana Mendes Campos é uma artista mineira nascida em Belo Horizonte, cuja trajetória não difere muito de outras artistas mulheres, que em determinado ponto da carreira, fazem a opção pelos filhos e família. É uma escolha lúcida e correta, porém, sem abandonar a arte por completo, deixando-a em latência. Com o passar do tempo, retomam com intensidade e entusiasmo os estudos e a produção.

 

Rosana fez esse caminho e planejou sua volta com o rigor que a caracteriza. Optou pelo aprimoramento de suas habilidades, recomeçando pelo treinamento sob supervisão. De início, com o professor Alan Fontes e, mais adiante, com a grande mestra Mariza Trancoso, com quem teve enorme identificação e que a ajudou a encontrar seu verdadeiro espaço na Arte.

 

No momento, suas experiências de vida estão incorporadas à sua obra, e a artista se mostra amadurecida, buscando registrar de modo significativo a sua passagem pela história da arte brasileira.

 

Podemos nominar Rosana como pintora figurativa e colocá-la, pela linguagem utilizada, no cenário da arte contemporânea. Recorro ao pensamento da própria artista: “Meu trabalho passou a ser muito autobiográfico, eu diria que até confessional. Hoje falo de feminilidade, de sexualidade feminina, da dor, principalmente da dor de se ser mulher; mas também da euforia, êxtase, e fantasias e assim passei a utilizar-me de uma linguagem simbólica...” E continua: “O processo é altamente autodestruidor, porque exige que eu me exponha com as minhas falhas, as minhas loucuras, o meu feio”.

 

Enquanto mergulha nesse mar feminino em que ela se identifica como mulher, ela se depara com a mulher do seu século, não só consigo mesma. Assim sua identidade fica imersa neste mar feminino, em que ela se perde e paradoxalmente, se encontra. Nesta profunda identificação com todas as mulheres do seu tempo, de todas as etnias, credos, e idades, ela procura sua identidade. A palavra identidade aqui adquire seu duplo sentido, o de identificação na paridade e igualdade do grupo e o de individualização e auto-consciência. Ela se submerge neste mar de idênticos para emergir com toda esta carga, mas paradoxalmente, com sua subjetividade artística.
 

Biografia
Artistas